A carregar...

SOMBRAS DA ÁSIA

Entrada-da-exposição-e-Índia.jpg

Inaugurada em Junho de 2013, Sombras da Ásia encerrou a 28 de Agosto de 2016. No seu lugar será inaugurada, a 24 de Novembro de 2016, uma exposição dedicada à Ópera Chinesa, constituída integralmente por peças da colecção Kwok-On.

O teatro de sombras possui um singular poder de fascínio. Mais do que qualquer outro género teatral, ele consegue transportar o público para um universo mágico. À semelhança de quase tudo o que se designa de arte popular, também ele é indisssociável da religião.  Trata-se de um espectáculo que, ao contrário do que aconteceu no Ocidente, não é feito para um público infantil.  As figuras são de pergaminho mas a pele utilizada difere de país para país e mesmo de região para região. No teatro de sombras, as figuras não são mais do que um elemento. Os marionetistas e, em certos casos os músicos, são sobretudo contadores. A manipulação das figuras apenas ilustra o que é contado. A música é igualmente importante e o teatro de sombras é sempre acompanhado de orquestra. 


Todos estes aspectos estão contemplados nesta exposição, com a diversidade deste tipo de teatro nos diferentes países onde existe: China, Índia, Tailândia, Cambodja, Indonésia, Malásia e Turquia. Ainda que se trate de uma invenção asiática já que, na sua origem, apenas se encontra neste continente, o teatro de sombras proliferou também no último daqueles países.

As trupes actuam por ocasião das festas ou de espectáculos oferecidos às divindades como forma de lhes pedir ajuda e protecção. As figuras de pele têm um poder sagrado, são tratadas com respeito e as representações têm um carácter chamanista.

Para dar a conhecer a um público ocidental não só as histórias que todos conhecem na Ásia mas também a diversidade e a riqueza das figuras do teatro de sombras, a exposição conta com os seguintes núcleos :


ÍNDIA

Este tipo de teatro sobrevive em quatro estados: Karnataka, Orissa, Andra Pradesh e Querala. Poderemos notar as grandes diferenças tanto na forma como na manipulação das sombras. Apresentam-se cenas tiradas do Ramayana e do Mahabharata.


SOMBRAINDIA

Índia_1.jpg


INDONÉSIA

Neste núcleo mostram-se as grandes diferenças entre os teatros de sombras de Java e de Bali. Aqui estão também representados os clowns que gozam de grande preponderância. O repertório é tirado do Ramayana, do Mahabharata e de histórias locais. Apresentam-se ainda candeeiros a óleo e uma orquestra completa para o teatro de sombras balinês.


SOMBRADAINDONÉSIA
Indonésia-e-China.jpg



MALÁSIA


Muito influenciada pelo teatro de sombras tailandês mas também javanês, encontramo-lo na região de Kelantam, no nordeste do país. O repertório é tirado sobretudo do Ramayana, embora lhe tenham sido acrescentadas peças inspiradas nas lendas locais mas em que intervêm personagens modernas.

SOMBRADAMALÁSIA


TAILÂNDIA E CAMBODJA

O teatro de sombras destes dois países é muito semelhante. Em ambos encontramos a distinção entre os espectáculos de grandes sombras, designados por Nang Yai (ou Nang Sbek) e que não são articuladas e o das pequenas sombras articuladas, as chamadas Nang Talung. O repertório é tirado do Ramakien e, por vezes, dos Jataka, relatos das vidas anteriores de Buda, embora também adapte histórias modernas recuperadas do cinema e da televisão.


SOMBRADATAILÂNDIAECAMBOJA
Tailândia.jpg



TURQUIA


Trata-se de um teatro cómico e, qualquer que seja a peça, a personagem principal é Karaghöz, que dará o seu nome a este género teatral. O repertório é composto de histórias simples, mais trama do que peça propriamente dita, já que essas histórias são um pretexto para produzir situações cómicas e permitir uma réplica bem humorada. Este teatro desempenhava uma funcão política e social, semelhante à da imprensa satírica.


SOMBRADATURQUIA
Turquia,-Camboja,-China.jpg



CHINA


O teatro de sombras está presente em praticamente todas as províncias chinesas. Mostra-se aqui um exemplo de cada uma mediante a apresentação de episódios tirados da mitologia como, por exemplo, A investidura dos deuses, romances históricos como A história dos três reinos ou da literatura fantástica como A história da serpente branca. Apresentam-se ainda manuscritos de peças e os instrumentos musicais utilizados neste teatro.


SOMBRADACHINA
China.jpg


Para mostrar os objectos no seu contexto, são apresentados documentários sobre o teatro de sombras na China e na Indonésia, realizados por Sylvie e Jacques Pimpaneau, comissários da exposição.