A carregar...

A QUATRO MÃOS

SOLISTAS DA METROPOLITANA

A QUATRO MÃOS

Domingo | 18 Novembro | 16.00 | Entrada gratuita

PROGRAMA

  • J. C. Bach | Sonata em Dó Maior para Piano a 4 Mãos, W. A18, Op. 15/6
  • W. A. Mozart | Sonata em Ré Maior para Piano a 4 Mãos, KV 381
  • J. C. Bach | Dueto em Fá Maior, W. A20, Op. 18/6
  • W. A. Mozart | Sonata em Dó Maior para Piano a 4 Mãos, KV 521

 
Anna Tomasik, Savka Konjikusic [piano]
 
M/6 anos
Entrada gratuita, sujeita ao levantamento do bilhete no próprio dia

 

Johann Christian Bach, o filho mais novo de Johann Sebastian, foi um dos principais protagonistas da transição entre os períodos barroco e clássico. Como exemplo, quando compunha para cravo ou piano-forte, explorava distintamente as particularidades técnicas e expressivas de cada um dos instrumentos. Uma das práticas inovadoras que então surgiu foi a possibilidade de dois músicos tocarem simultaneamente no mesmo teclado, o que se tornou muito apreciado nos salões privados da época. No caso, essas suas composições destinavam-se à aristocracia londrina, pois viveu e trabalhou na capital inglesa na segunda metade da vida. Foi aí que em 1765 tocou na presença do rei Jorge III ao lado de uma criança prodígio, Wolfgang Amadeus Mozart, para quem logo se tornou numa influência determinante. Por sinal, também Mozart encantava a aristocracia de toda a Europa interpretando peças a quatro mãos juntamente com sua irmã, Maria Anna. A Sonata em Ré Maior KV 381 foi composta em Salzburgo sete anos mais tarde e espelha bem o espírito luzente do jovem de 16 anos de idade. Já a Sonata KV 521 data dos tempos de Viena. Escrita em 1787, confronta os intérpretes com desafios técnicos bastante mais exigentes.


Foto: © Pedro Proença