Imprimir    

OLHAR O MUSEU ATRAVÉS DA DANÇA BUTOH

WORKSHOP

OLHAR O MUSEU ATRAVÉS DA DANÇA BUTOH

Quartas | 16, 23 e 30 Outubro; 6 e 13 Novembro
Com Maria Reis Lima
Horário | 15.00 às 17.00
Preço | €50
Participantes | mín.10
Destinatários | Público em geral, M/16 anos

Em cinco sessões, este workhop de dança butoh começa com uma aproximação histórica ao século namban, ou seja, uma apresentação das peças de arte namban do Museu, enquadradas no relacionamento entre portugueses e japoneses dos sécs. XVI e XVII (primeira sessão).

Nas sessões seguintes continuaremos a apresentar os princípios fundamentais do movimento butoh: origem e contexto histórico, estética, processo criativo e influências ocidentais.
O programa compreende:

  • Trabalho sobre a respiração, a espiral e o contacto com a terra para nos sintonizarmos com o “corpo magnético”.
  • Variações do andar, uma das bases do butoh, apuramento dos sentidos e abertura das portas da sensibilidade e da imaginação.
  • Improvisação livre sobre os biombos namban e demais peças do acervo do museu. Uma imagem, um objecto, despertarão em nós as memórias inscritas no nosso corpo transmitidas através dos nossos antepassados e da nossa cultura. O corpo tornar-se-á disponível para as “vozes” e emoções sugeridas pela riqueza pictórica dos biombos japoneses.
  • Criação de personagens com a utilização de adereços.

O workshop terminará com uma apresentação pública (para familiares e amigos) do trabalho realizado através dum espectáculo criado pelos participantes.

Recomenda-se o uso de roupa confortável e meias grossas.

Coreógrafa e bailarina, Maria Reis Lima foi discípula de Kazuo Ohno, um dos fundadores da dança Butoh, que deixou o seu legado à humanidade em 2010, aos 103 anos de idade. Formada pelo Conservatório Nacional de Lisboa e mestre em Dança pela Universidade de Paris IV-Sorbonne, Maria Reis Lima, estagiou em Tóquio com o mestre Ohno (Butoh) e estudou teatro Nô com os mestres Naohiko Umewaka (Escola Kanze) e Ryoichi Kano (Escola Kita).
 
Eduardo Kol de Carvalho, é arquitecto e estudioso da história da presença portuguesa no Japão e da cultura japonesa. Kol de Carvalho fará uma introdução histórica sobre o espólio artístico do Museu do Oriente alusivo ao período Namban.
 

 

Fechar