A carregar...

MALALA, A MIÚDA QUE GANHOU

PROJECTO TEATRAL D’A BARRACA

MALALA, A MIÚDA QUE GANHOU

Segunda | 11 Novembro | Auditório | 11.30

 
-Malala! Meu filho, esse nome quer dizer Dor. Sofrimento. E foste pôr esse nome à criança.
-Meu pai, para mim, quer dizer coragem.

 
Vamos contar a história de uma menina que nasceu no vale do Swat, entre o Afeganistão e o Paquistão; Malala, a filha do professor, uma menina que arriscou a vida para que as suas colegas e todas as meninas da sua terra pudessem ir à escola. A vida de Malala em criança está repleta de cores e de cheiros de um vale que se extende até ao céu, de uma casa cheia de buganvílias e de uma escola que lhe serve de segunda casa, ou até de primeira casa. Na vida de Malala cruzam-se familiares que aderem a tradições ancestrais em que as meninas não vão á escola, e um pai para quem a educação é uma direito, um dever e um bem essencial, para meninos e para meninas. É uma vida em que a fé predomina mas, por enquanto, não sufoca. Aos poucos, a Malala começa a dar-se conta de que nem todos os meninos e meninas vão a escola e daí, surgem outros pensamentos, faz outras perguntas e tira outras conclusões. Ela começa a ver os Talibãs à espreita por todos os cantos de Mingora e apercebe-se que talvez, em breve, deixará de poder ela também ir á escola. Quando a BBC lhe fornece a oportunidade de dar a conhecer ao mundo algumas destas impressões, ela aproveita. A partir desse momento, tudo muda na vida da Malala. Acompanhamos o processo de crescimento desta pequena heroína e somos testemunhos das dificuldades que muitas crianças continuam a ter para assegurar um mínimo de condições de aprendizagem, e de sobrevivência neste mundo.
Sinopse
 
Duração 60’, sem intervalo | P/ jovens 10-18 anos
Entrada gratuita para escolas, mediante inscrição [froque@foriente.pt]