A carregar...

CONCERTO DE ADRIANO JORDÃO, PIANO SOLO


CONCERTO DE ADRIANO JORDÃO, PIANO SOLO

11 Dezembro | Auditório | 19.00 | €12 (descontos em vigor)

O pianista Adriano Jordão interpreta algumas obras de referência do seu percurso de mais de 50 anos de actividade concertista.


PROGRAMA

Carlos Seixas  | Três Sonatas

  • Lá menor
  • Dó Maior
  • Ré Maior

 
Haydn |  Sonata nº 48 em Dó Maior…

  • Andante com espressione
  • Rondó Allegro

 
Beethoven | Sonata op.13 “Patética”

  • Grave – Allegro di molto e com brio
  • Adagio cantabile
  • Rondó Allegro

 
Bach/Liszt | Prelúdio e Fuga em Lá menor
     (transcrição de órgão)

M/6 anos
€12 (descontos em vigor)

Para ver o vídeo clique aqui

Adriano Jordão
(Angola, 1946) estudou em  Portugal com  Helena  Sá e Costa e outros professores. Em 1967 uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian permitiu-lhe realizar um ano de estudos avançados nos Estados Unidos da América. Em 1969, após completar o curso superior no Conservatório Nacional de Lisboa,  com a maior distinção, na classe da professora  Helena Matos, continuou os seus estudos em Paris, sob a orientação de  Yvonne Lefébure. 
Ganhou numerosos prémios em competições nacionais e internacionais tendo especial destaque o 1º lugar no Concurso Internacional de Debussy, em França. 
A carreira artística  de Adriano Jordão levou-o a apresentar-se por toda a Europa, América do Norte e do Sul, bem como em África e na Ásia.
Nos Estados Unidos, entre outras apresentações, actuou no prestigiado Lincoln Center com a New Orchestra of Boston sob a direção de  David Epstein e também no Carnegie Hall,  com a Queen's Symphony Orchestra sob a direção de John Neschling.

Colaborou com os mais importantes maestros portugueses e estrangeiros, destacando-se Alain Lombard, Sandor Végh, Claudio Scimone, Van Remoortel, Richard Treiber, Christian Mandeal, Horia Andreescu, David Epstein, Peter Feranec, Nicholas Kremmer, Nicholas Braithwake, e também com os maestros Chineses  Muhai Tang, Yuan Fang e Chen Zou Huang.

Adriano Jordão é um apaixonado pela voz humana, colaborou com grandes estrelas mundiais do canto como Ileana Cotrubas, Peter Schreier, Teresa Berganza, Katia Ricciarelli, Julia Hamari, Lella Cuberli  e Alfredo Kraus.
Foi o fundador e diretor artístico do Festival Internacional de Música de Macau nos seus primeiros cinco anos, também foi diretor artístico do festival da  Casa de Mateus e do Festival dos Açores durante 6 edições; foi diretor artístico do Festival de Música de Sintra e deste a sua fundação em 2016, é o director do  Festival Internacional de Música de Mafra. 
Tem o curso superior de Direito, pela Universidade de Lisboa; foi agraciado com o título de Oficial da Ordem das Artes e das Letras pelo Governo Francês, com a  Medalha de Mérito da Ordem Soberana de Malta e é  ainda de salientar que em 2018 foi agraciado com o título de Cidadão Honorário de Brasília, entre outras distinções.
De 2004 a 2011 foi Adido Cultural de Portugal em Brasília, no Brasil, e entre 2013 e  2016, foi  vogal do Conselho de Administração do Teatro Nacional de São Carlos, em Lisboa.
 
Deslocou-se em Outubro de 2016 a Macau, onde esteve a convite do Governo de Macau para participar na XXX edição do Festival Internacional de Música de Macau, festival que fundou em 1986.
 
Em  2019 celebrou cinquenta anos de carreira com concertos e recitais em Macau, Açores e Portugal continental, Brasil e Marrocos. 
 
Em Outubro de 2019, na Igreja de São Roque em Lisboa,  culminou ainda uma importante digressão que se iniciou em 2017 e 2018 com o Coro Gulbenkian, onde tocou como solista na Petite Messe Solennelle de Rossini, tendo sido  dirigido, em todos os concertos,  pelo maestro Michel Corboz.
Mantém, a par da sua carreira como pianista, e sua actividade como Director Artístico do Festival Internacional de Música de Mafra, que este ano celebrará a sua V edição.


ESPECTÁCULOS